.

Publicado el November 16th, 2008, 19:47

Josias Pimentel disse:

2 de novembro de 2008 às 7:23 am editar

Acho de extrema importancia que se esclareça quem é quem no cenario
espiritual. Gostei demais dessa informação sobre a origem dos
Batistas. Vemos hoje dentro das igreja pessoas que se dizem Cristãos,
mas que não conhecem a historia de sua igreja.

Josias Cunha disse:

2 de novembro de 2008 às 8:54 am editar

Também acho, hoje em dia estamos sofrendo divisões em nossas igrejas,
devido não ser ensinado a membresia sobre a nossa história.
Dizem que não cremos no Espírito Santo, que nós surgimos de uma seita e etc…
A nossa história como denominação é forte e marcante, temos a
credibilidade que temos por que sempre pautamos a nosa fé em Deus e na
sua palavra.

edson xavier disse:

3 de novembro de 2008 às 2:52 pm editar

antes de publicar qualquer este tipo de materia na internet seria
muito importante que os "ïrmãos" converssassem com as lideraças das
demais igrejas evangélicas. É, no mínimo, uma falta de
responsabilidade muito grande dizer que as igrejas reformadas
respondem para homens, enquanto a igreja batista possui somente DEUS
como sua autoridade! Os "irmãos"esqueceram de mencionar que estes
concílios das demais igrejas também possuem DEUS como suma autoridade!
Nenhum concílio possui atoridade para aprovar algo que esteja fora das
escrituras sagradas! eu, particularmente, conheço pastores batistas
que fazem e acontecem em duas igrejas locais por não terem uma
oriantação de pessoas mais esclarecidas! o que dizer então da
proibição que há em algumas igrejas batistas e em outras não sobre a
participação de crentes de outras denominações na Ceia do Senhor??

admin disse:

3 de novembro de 2008 às 3:03 pm editar

Edson:

Como batista respeito o seu posicionamento, mas, conversar?
Estes artigos já estão na internet há anos e não somos nós quem
devemos conversar.
Se tais lideranças que o irmão coloca quisessem conversar, já teriam
conversado com os autores, mas, na realidade, não existe nada o que
conversar, o massacre dos batistas foi histórico e já faz muito tempo.

É hora de união, mas, com certeza, os batistas nada têm do que
comemorar com a Reforma Protestante, porque foram esmagados por ela.

Vital.

edson xavier disse:

3 de novembro de 2008 às 3:05 pm editar

bom, se é hora de uniao para que serve ficar publicando este tipo de artigo?

admin disse:

3 de novembro de 2008 às 3:31 pm editar

Edson:

É muito importante a publicação de tais artigos, pois revelam a nossa
verdadeira história.

Temos que saber que os Reformadores foram mais cruéis do que a própria
igreja Católica Romana e que a verdadeiro protesto se deu por causa do
Concílio realizado muito depois da publicação das 95 teses de Lutero.
A verdadeira reforma foi um ato político dos "princípes de Lutero"
(nobres da época) que não concordando com os ditames de tal Concílio
católico, promoveram o que se chamou de protesto, por motivos
políticos.

O passado é história e não podemos negá-la.

Devemos saber vivenciar o presente em Cristo Jesus para que as
atrocidades do passado não sejam mais referências e sirvam apenas como
exemplos que não devem ser seguidos.

Vital

Pr. Irenilson Barbosa disse:

5 de novembro de 2008 às 3:28 pm editar

Concordo com Vital. Destaco que o fato de termos igrejas batistas com
práticas diversas não invalida o argumento do autor do artigo. Antes,
mostra que não somos tão belicosos a ponto de perseguir quem pensa
diferente de nós. Ademais, se a igreja é realmente batista, os
princípios prevalecem sobre as diferenças observadas. Penso que
aprendemos com a história, a despeito das atuais imperfeições. O fato
é que a verdade é inexorável e não podemos esconder a história debaixo
de tapetes em nome da unidade porque ela se dá ou não em meio à
diversidade. Talvez o texto tenha alguns radicalismos, mas me parece
essencialmente fiel à história.
Irenilson Barbosa
Igreja Batista El Shadai - Salvador - BA

Thiago Velozo Titillo disse:

6 de novembro de 2008 às 9:26 am editar

Perseguir quem? Os anabatistas eram minoria. Se fossem maioria,
certamente teriam perseguido, como em um ou outro caso isolado
aconteceu. Também derramaram sangue alheio. Totalmente fantasiosa esta
"história" dos batistas.

O "rastro de sangue" é um delírio landmarkista de "sucessão
apostólica" "a la Roma papal".

O verdadeiro batista sabe que não nasceu dos anabatistas - totalmente
fragmentados, cada qual com sua doutrina mais estranha que a outra - ,
mas nossa origem está na reforma da Inglaterra via separatistas e
puritanos que, descendem da 2ª Reforma (Zuínglio e Calvino).

Embora não concorde com os atos inquisitórios dos reformadores contra
os anabatistas (não os batistas!), também é necessário olhar para o
passado dentro do contexto medieval. Questões de fé, era matar ou
morrer! Não havia a tolerância de um mundo relativista e pós-moderno.
Caso a fé oposta não fosse oprimida, ela se tornaria opressora e
suprimiria aquela que se lhe opõe. Isso é fato! Os anabatistas só
precisaram de uma oportunidade para mostrar o quanto eram intolerantes
também.

Os batistas não foram perseguidos pelos reformadores. Os batistas são
filhos da Reforma. Os anabatistas - com suas heresias anárquicas,
poligamias, docetistas, além do sono da alma, aniquilacionismo
(negavam o inferno eterno!) e aperda da salvação foram reprimidos
pelos reformadores (isto eu não louvo, e como filho da reforma e
batista que sou, me arrependo no pó e na cinza) - foram perseguidos
sim, os batistas, não!

Vejam nossas primeiras Confissões de Fé para refletirmos sobre quem somos.

Thiago

Luiz cláudio disse:

15 de novembro de 2008 às 3:33 pm editar

Creio ser de suma importante a discussão acima sobre a origem dos
batistas, muitas teria já foram ditas, mas a verdade é que, existe uma
certa dificuldade em se datar a origem dos batistas, visto que,
originou num periodo conturbado da história. O mais importante é dizer
que, na história dos batistas podemos encontrar tanto anabatistas como
puritanos que sairam da igreja da inglaterra (anglicana). Por isso
devemos ter coerencia ao afirma categoricamente qualquer dessas
posições.
Graça e Paz.
Por SousaNeto, en: General