.

Publicado el November 17th, 2008, 3:39

marco disse:

13 de novembro de 2008 às 1:41 pm editar

E tem mais,

Ele é canhoto
Leu todos os livros de Harry Potter
Quando adolescente ele fumou maconha e cheirou cocaína
Prometeu à Michelle que pararia de fumar antes de concorrer à
Presidência, mas não parou.
E é membro de uma igreja ecumênica,inclusiva, liberal, esquerdista,
que aceita o casamento gay(www.ucc.org)inclusive tem a bandeirinha na
capa do site.

É como eu disse : poderá ser o precursor do …

Zarkos D'Alembert disse:

14 de novembro de 2008 às 1:16 pm editar

São manifestações como as expressadas pelo comentário anterior de
Marco que às vezes me fazem corar de vergonha como cristão. A pretexto
de demonstrar suposta espiritualidade, algumas pessoas cometem
verdadeiros atentados à inteligência e demonstrações inequívocas de
desinformação e preconceito! Dizer que o fato de ser canhoto(!) ou ser
leitor dos livros de Harry Potter(!) é sinal de que alguém tem parte
com o anticristo é o fim! Não me coloco aqui como defensor do
presidente eleito Obama, mas o fato dele ter experimentado drogas na
juventude ou mesmo ter cometido outras asneiras desse calibre, não o
tornam melhor ou pior do que qualquer um de nós. ("Aquele que de entre
vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela." João
8:7). No entanto, em minha opinião, ainda pior do que expressar essas
aberrantes opiniões, é criticá-lo por pertencer a uma igreja
ecumênica, inclusiva, liberal, esquerdista, que aceita o casamento
gay, etc. Isso, acredito eu, é negar a própria essência do
cristianismo! Afinal quem na história humana foi mais ecumênico,
liberal e inclusivo que o próprio Cristo?

Marcelo Renato Neckel disse:

14 de novembro de 2008 às 1:30 pm editar

O Anticristo, embora mencionado na Bíblia apenas quatro vezes, e ainda
assim, de maneira obscura, tem exercido uma forte impressão na
imaginação popular através da história. Transcreverei abaixo trechos
do livro "Naming the Antichrist", de Robert Fuller. Minha intenção
aqui é informar os prezados irmãos e desmistificar o assunto.

Bem, vamos ao texto:

"Nas epístolas de 1ª, 2ª e 3ª João, o autor condena as crenças e a
espiritualidade esposadas por um grupo relativamente influente de
cristãos que haviam se separado da comunidade principal. Era
imperativo que outros não fosse desviados por esses cristãos
renegados, que aparentavam ser genuinamente inspirados por Deus, mas
que o autor (João) sabia serem culpados das mais graves heresias.
Ambas as epístolas 1ª e 2ª João falam a seus leitores que estes falsos
profetas estão imbuídos pelo "espírito do anticristo… O autor de 1ª
João torna claro que existem distintas fronteiras doutrinais além das
quais alguém não pode passar e permanecer cristão. Aqueles que vão
além dessas fronteiras não pertencem mais ao mundo de Deus. Ele então
segue em frente com o assunto e explica por que esses antigos membros
da comunidade devem ser evitados apesar de seu estilo de vida, de sua
inspiradora espiritualidade e das suas atraentes noções teológicas.
Eles são não-conformistas, eles são os anticristos. Suas crenças
revelam que eles nunca foram cristãos de verdade ("Saíram de nós, mas
não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto
é para que se manifestasse que não são todos de nós.") O autor
relembra seus leitores que, apesar do fato de que esses renegados irão
tentar enganá-los, eles devem estar seguros no conhecimento de que o
tempo do julgamento está próximo e que a fé constante será
recompensada. ("Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que
vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por
onde conhecemos que é já a última hora.") O autor faz aqui uma alusão
a uma tradição concernente a aparência do anticristo, a qual ele
assume que seus leitores estejam familiarizados. Nunca saberemos, no
entanto, precisamente que tradição ele tinha em mente…
O termo anticristo não possui o artigo definido que designaria "o" tão
amplamente conhecido personagem. A palavra anticristo é usada três
vezes em 1ª João e apenas uma vez em 2ª João e em mais nenhum outro
lugar na Bíblia. Além disso, o autor não apenas se refere ao
anticristo como "UM" oponente de Cristo (ao invés de "O" oponente de
Cristo), mas também utiliza a palavra no plural, designando todos os
membros dissidentes da comunidade como anticristos. O anticristo
joanino refere-se a apóstatas humanos e não a uma besta sobrenatural…
João "nomeia" não uma entidade maléfica sobrenatural, mas seres
humanos cuja manifesta espiritualidade e crescente popularidade
estavam causando ressentimento e inveja… Sua principal preocupação era
atacar aqueles que estavam abalando a pureza teológica da comunidade.
De acordo com 1ª João, o que se devia temer no anticristo não era a
soltura de uma temerosa destruição, mas a promoção de heresias…
O autor de 1ª João não estava aguardando a aparição de algum ser
sobrenatural num futuro profético. Ao contrário, os anticristos já
estavam entre eles na forma de pessoas que haviam sido membros da
comunidade de crentes, mas a tinham deixado para pregar doutrinas que
agora ameaçavam seduzir outros da comunidade a dela saírem também."
Por SousaNeto, en: General