.

Publicado el November 18th, 2008, 20:08

O AMOR NÃO MATA!

  Jose Francisco Veloso 

Por amor tinha escrito um texto sobre Lutero pelo próximo dia 31, mas meu tempo e emoção foram também seqüestrados pelo Lindemberg que acabou matando a jovem Eloá, em Santo André-SP. Já na prisão o assassino grita: “ Eu quero Eloá, eu amo Eloá!” Amigos, vizinhos e colegas disseram para a mídia:  “Ele fez tudo isto porque a amava demais” –  “ O rapaz disse que mataria a ex-namorada e depois se mataria” – "Amar demais dá nisto”. Está tudo errado! Quem ama não mata, quem ama não se mata! Quem ama, pensa. Com a morte da jovem, parte dos pais dela e dele, morreram também e com esta morte sete foram abençoados com órgãos transplantados. Como cristão e psicanalista fujo da condição de homem, pai e avô,  e afirmo que quando “cair a ficha” do agora assassino, ele sofrerá bastante e procurará consolo no suicídio. Mas tudo isto teve raiz no amor? Não! Um poeta argentino escreveu: “Quando te perdi, perdi muito; mas você perdeu mais, porque eu poderei encontrar alguém que me ame assim como você me amou; mas você jamais encontrará alguém que te ame assim como eu te amei.!” Quem ama quer que o(a) amado(a) seja feliz mesmo que não seja ao seu lado. Quem ama libera. Quem ama não  se sente proprietário do outro, não grita, não humilha, não ridiculariza publicamente ou não. Quem ama deixa as coisas fluírem naturalmente.O apaixonado por sua vez toma decisões sob a seca das savanas africanas ou sob o tórrido vento de Atacama e que passou antes pelo Saara. “Os sofrimentos do amor devem enobrecer, não degradar. "( George Sand). “ O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.” ( Mario Quintana) “ O senhor não daria um banho num leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não; só por amor se pode dar um banho num leproso” ( Madre Tereza). O amor não cega ninguém; como outro rapaz que matara a namorada: “Porque você fez isto?” “ Porque eu a amava”.  “Você ama a seus pais?” “ Sim”, respondeu o assassino. “Você tem vontade de matar os seus pais também?” “Não, porque eles estão sempre ao meu lado, e se ela não fosse minha não seria de mais ninguém”. Quem amará um homem que “mata” por amor? Isto é direito de posse usurpado. A Bíblia diz que “Deus é amor”, deixando claro que todos os verdadeiros tipos de amores têm suas raízes em Deus; por isto quem ama e se descobre que não é amado, segue em frente. O amor não escraviza ninguém, seja em nome de que ou quem for! A Bíblia nos ensina que o verdadeiro amor não é uma emoção que vai e vem, mas uma decisão. Não devemos apenas amar os que nos amam, mas devemos até amar aqueles que nos odeiam, da mesma forma que Cristo ama até o que “não poderia ser amado” (Lucas 6:35). “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (I Cor. 13:4-7).

Por InfoBatista, en: General