.

Publicado el November 22nd, 2008, 18:30

Esperei c om paciência no Senhor... (Salmo 40.1)

Esperar é muito mais difícil do que and ar.

Esperar requer paciência, e a paciência é uma virtude rara.

É b om saber que Deus constrói cercas em volta do seu povo, mas isto se considerarmos a cerca apenas do ponto de vista de proteção.

Porém, qu and o uma cerca é conservada e, sendo uma cerca - viva, vai crescendo tanto que impede a visão do que está do outro lado, o coração c om eça a imaginar se algum dia ele sairá daquele pequeno círculo de influência e serviço em que está contido. E às vezes é difícil para a pessoa entender por que não pode viver numa esfera maior.

É-lhe difícil "brilhar no seu caminho". Mas Deus tem um propósito em todos os seus impedimentos. "O Senhor firma os passos do h om em b om ". O h om em que abrir caminho através das cercas de Deus c om eterá um triste engano. Um princípio vital de orientação é que o crente nunca deve se afastar do lugar onde Deus o colocou, enquanto a Coluna de Nuvem não se mover.

Qu and o aprendermos a esperar sempre a orientação do Senhor em todas as coisas, seremos fortes, teremos a força que nos levará a ter um and ar sempre equilibrado e constante. Muitos de nós estamos sem o poder que tanto desejamos. Mas Deus nos concede pleno poder para cada tarefa que ele nos dá. Esperar, manter-nos fiel à sua orientação, eis o segredo para obtê-lo. E qualquer coisa que sair fora desta linha de obediência é desperdício de tempo e energias. Esperemos vigilantes pela direção de Deus.

Uma pessoa que é obrigada a estar quieta, em inatividade forçada, e vê passar diante de si as ondas palpitantes da vida, será que a existência precisa lhe ser um fracasso? Não; a vitória é para ser conseguida em ficar parado: em uma espera tranqüila. E isto é muitas vezes mais difícil do que correr nos dias em que podemos estar ativos. Requer maior heroísmo ficar ali e esperar, sem perder o ânimo nem a esperança submeter-se à vontade de Deus; deixar c om os outros o trabalho e as honras dele; ficar calmo e confiante, regozij and o-se, enquanto a multidão feliz e atarefada avança e vai embora. É a vida mais elevada: "Tendo feito tudo, ficar firme".

Que Deus abençoe a todos.

O elevado custo da desforra

 Mesmo que você não possa amar a seus inimigos, ame – pelo menos a você mesmo. E use esse amor por você mesmo para não permitir que seus inimigos controlem a sua felicidade, a sua saúde e a sua vida. Qu and o você odeia seus inimigos, está d and o a eles poder sobre você mesmo: sobre seu sono, seu apetite, sua pressão arterial, sua saúde, sua felicidade.

Passar dias e noites se preocup and o em c om o desforrar-se deles, arquitet and o vinganças mirabolantes, só faz mal a você mesmo. O seu ódio não causa efeito a eles, mas faz c om que seus dias e suas noites se transformem em verdadeiros infernos.

Um meio para acabar c om esse sentimento ruim e devastador é perdoar seus inimigos e esquecê-los. Para chegar a isso, passe a dedicar-se a alguma coisa infinitamente maior do que o mero desejo de vingança (pense no amor de Deus e na Sua misericórdia).

E, para cultivar uma atitude mental que traga paz e felicidade, lembre-se desse princípio: nunca procure vingar-se de seus inimigos (lembre-se que Deus é o seu vingador – 1ª Ts. 4:6) porque, se o fizer, vai ferir mais a si mesmo do que a eles; não desperdice um minuto sequer fal and o ou pens and o em pessoas que não o agradam.

Dale Carnegie, no livro "C om o evitar preocupações e c om eçar a viver"

Obs. As palavras em negrito são minhas. (Pr.Mussugati)

 Ouvir c om empatia

 A maior parte das pessoas não consegue escutar c om a intenção de c om preender; elas ouvem c om a intenção de retrucar. Estão sempre fal and o ou se prepar and o para falar; filtram tudo através de seus próprios paradigmas e lêem sua autobiografia na vida das outras pessoas. São pessoas que qu and o ouvem algum relato dizem prontamente: “Ah! Sei exatamente c om o você se sente! Já passei por isso também. Vou contar o que aconteceu c om igo...”.

Já a escuta empática é a escuta c om a finalidade de c om preender. Ou seja, primeiro c om preender, realmente c om preender. A empatia não é igual à solidariedade. Não significa concordar incondicionalmente c om alguém, mas c om preender alguém profundamente, tanto no plano emocional quanto no intelectual. A escuta empática significa muito mais do que registrar, repetir ou mesmo entender as palavras que estão sendo ditas; significa ouvir também c om os olhos e o coração. Você ouve procur and o entender o significado, o sentimento; ouve para c om preender.

Qu and o você ouve c om empatia, você c om preende o que acontece; depois você pode se concentrar na solução do problema ou nos conselhos que tem a dar.

É difícil procurar primeiro c om preender, diagnosticar, antes de receitar uma solução. É muito mais simples oferecer logo uma solução que vem servindo a você há tanto tempo, sem se preocupar se ela serve ou não à outra pessoa.

Portanto, por mais difícil que seja, procure primeiro c om preender antes de aconselhar. Esse é um princípio correta que se manifesta em muitas áreas da vida. É a marca registrada de todos os profissionais de verdade.

(texto de Stephen R. Covey no livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”) 

Que eu não permita nunca essas coisas...

 Que Deus não permita que eu perca o r om antismo, mesmo eu sabendo que as rosas não falam.

Que eu não perca o otimismo, mesmo sabendo que o futuro que nos espera não é assim tão alegre...

Que eu não perca a vontade de viver, mesmo sabendo que a vida é, em muitos m om entos, dolorosa...

Que eu não perca a vontade de ter gr and es amigos, mesmo sabendo que, c om as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de ajudar as pessoas, mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, reconhecer e retribuir esta ajuda.

Que eu não perca o equilíbrio, mesmo sabendo que inúmeras forças querem que eu caia.  

Que eu não perca a vontade de amar, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...   

Que eu não perca a luz e o brilho no olhar, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão meus olhos...  

Que eu não perca a garra, mesmo sabendo que a derrota e a perda são dois adversários extremamente perigosos.   

Que eu não perca a razão, mesmo sabendo que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas.

Que eu não perca o sentimento de justiça, mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu.

Que eu não perca o meu  forte abraço, mesmo sabendo que um dia meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a beleza e a alegria de ver, mesmo sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o amor por minha família, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia,

Que eu não perca a vontade de doar este enorme amor que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado.

Que eu não perca a vontade de ser gr and e, mesmo sabendo que o mundo é pequeno...

  

E, acima de tudo, que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente, que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois a vida é construída nos sonhos e concretizada no amor!

Você é o que semeou

Certa vez contei uma mentira a um h om em.

Ele respondeu-me dizendo isto:

- Todas as decisões que devo t om ar serão baseadas nas suas palavras.

Desde então, eu só disse a verdade.

Certa vez reclamei de um presente que recebi, porque não era o que eu queria. Aquela que me presenteou percebeu o desapontamento em meus olhos e disse-me isto:

- Escolhi o presente mais valioso que poderia encontrar, porque achei que você deveria ter um deste.

Desde então, fico muito alegre c om cada presente que recebo.

Certa vez um h om em contou-me um segredo, o qual eu sussurrei baixinho no ouvido de um outro amigo.

O h om em disse-me isto, depois de ouvir seu segredo repetido:

- A razão pela qual contei-lhe o segredo foi porque confiei em você, não em seu amigo.

Desde então, não confio assim tão facilmente.

Certa vez dei um presente a uma amiga e ela chorou.

Me desculpei por ser um presente tão pequeno mas era o que eu tinha encontrado.

E ela me respondeu:

- Não há nada de errado c om o presente, estou emocionada porque você lembrou-se de mim.

Desde então, eu dou presentes freqüentemente.

Estava tent and o apenas ser eu mesmo, pass and o despercebido sem chamar atenção.

E me foi dito isto:

- O fato de você não se adequar faz c om que você fique fora de tudo.

Desde então, eu penso sobre isto.

Penso ... existo... penso... s om os...

...VOCÊ é um agente muito importante na existência, não vivemos aqui sozinhos.

Cada movimento que faz cria uma onda no oceano do outro.

Cada vez que você respira afeta todo o ar a volta de quem você está.

Cada palavra que você expressa bate no ouvido de alguém.

Aquilo que você toca é sentido por outra pessoa.

Aquilo que você faz, certamente afetará alguém.

O que não faz ou deixa de fazer, também afetará pessoas.

Nós nunca sabemos a distância realmente alcançada por algo que falamos ou fazemos até que nos retorne...

Todas as coisas na vida formam um círculo e estamos no meio dele, quer o vejamos ou não...

E tudo que devemos fazer é criar agradáveis ondas, aquelas que envolvem calorosamente tudo em torno de você, e que voltam suaves, fazendo por sua vez que você crie, cada vez mais, ondas agradáveis.

Aquilo que o h om em semear, c om certeza também colherá.

Chato: Inseto da família dos pediculídeos

Chatice não tem idade, sexo, estado civil, profissão, classe social ou escolaridade. Pode atacar crianças e velhos, casados e solteiros, sogras e genros, patrões e secretárias, mendigos e ricaços, doutores e analfabetos. De certa forma, ninguém está livre de ser uma pessoa chata em alguns m om entos de tédio, carência, enjôo, insistência, ansiedade, preocupação, ou até por excesso de cuidados.

O problema é qu and o esse c om portamento se instala na personalidade! É uma espécie de poluição ambiental que passa a afetar a qualidade de vida da própria pessoa e de todos em volta.

Suponha que um empresário ac om etido por esse mal, seja imitado em seu c om portamento por um diretor, cujo estilo é seguido à risca por um gerente, que tem c om o assistente um puxa-saco, pondo em prática toda a chatice emanada dos níveis superiores.

É muito provável que toda a empresa fique insuportável. As pessoas que ali trabalham nem percebem que estão incorpor and o hábitos ranzinzas, manias burocráticas inúteis, exigências improdutivas e chegam a ver nessa loucura, uma seriedade da organização, um selo c om as rotinas bem-feitas, c om a qualidade nos procedimentos...

E o pior: as pessoas que se contaminam nesses ambientes de trabalho c om eçam a reproduzir em casa as mesmas atitudes chatas. Isso é uma ameaça terrível à qualidade de vida do planeta!

C om portamentos típicos de um chato e mal educado:

- monopolizar a conversa c om uma pessoa, est and o em grupo;

- falar muito perto da outra pessoa;

- dar altas gargalhadas e fazer ruídos;

- ser ranzinza, queixoso ou reclamão;

- falar mal dos outros, julgar, criticar, espionar, fofocar;

- impor seus pontos de vista;

- viver cobr and o atitudes e retribuições;

- fazer perguntas profissionais em ocasiões de lazer;

- invadir o espaço vital do outro;

- acordar seu c om panheiro de quarto c om barulhos e acendendo a luz ao levantar cedo ou ao chegar tarde;

- permanecer mais tempo que o desejado nos lugares aos quais foi convidado...

Portanto, preste atenção em suas atitudes para não ser enquadrado na categoria dos "chatos" ou mal-educados, assim, você vai estar contribuindo um pouquinho para a qualidade de vida entre os seres humanos.

Gretz

A Vida

 "Dizem que a vida é curta, mas não é verdade.

A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades.

E essa tal felicidade and a por aí, disfarçada, c om o uma criança tranqüila brinc and o de esconde-esconde.

Infelizmente, ás vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionado "não": a viagem que não fizemos, o presente que não demos, a festa a qual não f om os, a paixão que não vivemos o perfume que não sentimos...

A vida é mais emocionante qu and o se é ator e não espectador, qu and o se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria.

E c om o ela é feita de instantes, não pode e nem deve ser medida em anos ou

meses, mas em minutos e segundos.

Esta mensagem é um tributo ao tempo.

Tanto aquele que você soube aproveitar no passado, quanto aquele que você não vai desperdiçar no futuro.

Porque a vida é AGORA".

Das perguntas erradas

O que é a sabedoria?

Uma história sufi nos fala de um h om em que vivia na Turquia, qu and o escutou falar de um gr and e mestre que morava na Pérsia e que detinha o segredo da sabedoria.

Sem hesitar, vendeu suas coisas, despediu-se da família e foi em busca do tal segredo. Depois de anos viaj and o, conseguiu chegar à cabana onde morava o gr and e mestre. Cheio de temor e respeito, aproximou-se e aguardou que o sábio voltasse de seu passeio matinal.

— Venho da Turquia — disse, assim que o sábio apareceu — Fiz essa viagem inteira para fazer apenas uma pergunta.

— Está bem. Pode fazer apenas uma pergunta.

— Preciso ser claro no que vou perguntar; posso fazer a pergunta em turco?

— Pode — disse o sábio — E já respondi sua única pergunta. Qualquer outra coisa que quiser saber, pergunte ao seu coração; não é preciso viajar tanto para descobrir que ele é o melhor de todos os conselheiros. E fechou a porta.

Por que Deus não nos ajudou?

Mestre e discípulo caminhavam pelos desertos da Arábia. O mestre aproveita cada m om ento da viagem para ensinar ao discípulo sobre a fé.

— Confie suas coisas a Deus — dizia — Porque Ele jamais ab and ona seus filhos.

De noite, ao acamparem, o mestre pediu que o discípulo amarrasse os cavalos numa rocha próxima. O discípulo foi até a rocha, mas se lembrou do que aprendera durante aquela tarde. "O mestre deve estar me test and o. Na verdade, devo confiar os cavalos a Deus". E deixou os cavalos soltos.

De manhã, descobriu que os animais haviam fugido. Revoltado, procurou o mestre.

— O senhor não entende nada sobre Deus! Ontem aprendi que devia confiar cegamente na providência, entreguei a Ele a guarda dos cavalos e os animais desapareceram!

— Deus queria cuidar dos cavalos — respondeu o mestre — Mas, naquele m om ento, Ele precisava de suas mãos para amarrá-los, e você não as emprestou.

Está chovendo e eu posso sair?

Conta uma velha história budista: um h om em vai pass and o por uma aldeia, em pleno temporal, e de repente vê uma casa peg and o fogo. Ao se aproximar, nota um outro h om em — a fábula usa uma bela imagem: "c om fogo até nas sobrancelhas" — que grita em sua direção:

— Está chovendo?

O viajante fica surpreso.

— Sua casa está peg and o fogo! — diz.

— Preciso saber se está chovendo. Minha mãe me disse que a chuva pode causar pneumonia.

Zao Chi c om enta sobre a fábula: "Sábio é o h om em que consegue mudar de situação qu and o se vê forçado a isto. Tolo é o h om em que não confia na mão de Deus, apenas nas respostas de seu semelhante."

Qual o primeiro passo?

Um h om em resolveu visitar um ermitão que vivia perto do mosteiro de Sceta.

— Qual o primeiro passo daquele que pretende seguir o caminho espiritual? — perguntou.

O ermitão levou-o até um poço e pediu que olhasse seu reflexo na água. O h om em obedeceu — mas o ermitão c om eçou jogar pequenas pedras, fazendo c om que a superfície se movesse.

— Não poderei ver direito o meu rosto enquanto o senhor jogar pedras.

— Assim c om o é impossível ver seu rosto em águas turbulentas, também é impossível buscar Deus se a mente estiver ansiosa c om a busca — disse o monge — Não faça perguntas, siga adiante c om fé. Este será sempre o primeiro e o mais importante de todos os passos. 

Por InfoBatista, en: General