.

Publicado el November 22nd, 2008, 18:39

Acompanhamos, estarrecidos e entristecidos, o desfecho do seqüestro de duas adolescentes em São Paulo.

As duas baleadas foram pelo seqüestrador, que era gentilmente chamado de menino pela mídia e que não foi alvejado por policiais porque era considerado "um jovem em crise amorosa". Até disparar a sua arma contra as meninas, o seqüestrador era considerado pelos seus familiares como "um bom menino", trabalhador e honesto.

Um psiquiatra forense, acostumado a lidar com maníacos e psicopatas, declarou em entrevista à imprensa que o seqüestrador é "um jovem com o caráter mal formado que não conseguiu lidar com a perda". E ele demonstrou isso de maneira trágica.

Fiquei a pensar em como os pais podem se enganar com seus filhos, como, às vezes, não os conhecem de fato e como são os responsáveis diretos pela formação do caráter deles e como são culpados por formar pessoas que não sabem perder, que só querem ganhar sempre, que têm um sentimento de posse doentio.

Por que não conseguem perder? Por que não conseguem abrir mão de algo ou alguém? Certamente isto vem de longe, da primeira infância. Pais que não sabem dizer não aos seus filhos, que sempre concedem o que desejam, que se esforçam para suprir qualquer tipo de desejo, que criam seus filhos como se fossem príncipes ou princesas. Pensam que estão fazendo um bem, que estão protegendo, mas estão formando um caráter distorcido, acostumado a receber sempre e a não retribuir nunca. Esquecem-se de que a vida não é um mar de rosas e que seus filhos crescerão, deixarão de ser meninos, e que precisarão viver a vida como ela é e não como um conto de fadas.

Entrando despreparados na realidade da vida não saberão suportar as perdas e não sabendo suportar as perdas perderão tudo e os pais perderão os filhos "meninos" e ficarão estarrecidos com os filhos que, de repente, descobrirão serem verdadeiros monstros.

Pais e mães de filhos ainda em formação, não criem mal os filhos para que não venham a ser pessoas de mau caráter, mas criem seus filhos na admoestação do Senhor, no caminho que devem andar, como pessoas que precisarão conviver com outras pessoas, que precisarão se relacionar recebendo, doando e perdendo. Criem seus filhos para a realidade da vida.

DINELCIR DE SOUZA LIMA - Pastor da IB Memorial de Bangu, Rio de Janeiro (RJ)

Fonte:http://www.ojornalbatista.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=713&Itemid=33

Por InfoBatista, en: General