.

Publicado el November 22nd, 2008, 15:17

Se Deus fosse seu patrão Ele...

        Se Deus fosse seu patrão, Ele estaria contente com seu modo de trabalhar? Se Deus fosse seu patrão, Ele estaria satisfeito com sua dedicação no projeto d’Ele? Se Deus fosse seu patrão, Ele teria motivos para elogiar você como membro de Sua “empresa”? Se Deus fosse seu patrão, Ele teria prazer em observar seus atos durante o trabalho? Se Deus fosse seu patrão, Ele teria tranqüilidade para entregar em suas mãos maiores responsabilidades? Se Deus fosse seu patrão, Ele relacionaria seu nome entre os mais confiáveis? Se Deus fosse seu patrão, Ele estaria seguro com aquilo que foi entregue aos seus cuidados? Se Deus fosse seu patrão, Ele poderia contar com seu serviço em qualquer momento?

 

        Se Deus fosse seu patrão, Ele teria motivos para demitir você por falta de responsabilidade? Se Deus fosse seu patrão, Ele teria motivos para recomendar você para tarefas mais importantes? Se Deus fosse seu patrão, Ele teria tranqüilidade com o seu setor? Se Deus fosse seu patrão, Ele avaliaria você como uma pessoa discreta? Se Deus fosse seu patrão, Ele aumentaria seu salário para não perdê-lo para o concorrente?

        Se Deus fosse seu patrão, Ele aceitaria os boatos com seu nome ou confiaria em seu caráter? Se Deus fosse seu patrão, Ele apontaria você como um exemplo a ser seguido ou um exemplo a ser esquecido? Se Deus fosse seu patrão, Ele saberia que suas intenções são honestas ou ficaria duvidoso em relação às suas motivações? Se Deus fosse seu patrão, Ele criaria meios para não perder você ou o deixaria ir sem pesar? Se Deus fosse seu patrão, Ele avaliaria seu comportamento como exemplar ou classificaria como ruim?

        Por que estes questionamentos precisam ser realizados? Porque existe displicência na execução das tarefas dadas aos chamados servos. Porque existe falta de interesse nas coisas do Mestre Jesus. Porque existe observação fria dos que deveriam estar no “jogo” e estão na “arquibancada”. Porque existe inércia prolongada provocada pela visão pretérita e pela atitude contraproducente evidenciada na vida dos que deveriam ter fé em Deus.

        Saiba que Deus é Senhor de sua vida e não seu patrão nos termos que se conhece no exigente mercado de trabalho. Entretanto, sua conduta como filho de Deus precisa ser a de quem tem consciência que ocupa a mais alta posição, a de servo. Seu desafio pessoal como cooperador de Deus é responder com honestidade às indagações listadas acima, lembrando que servir envolve dedicação, responsabilidade e honestidade. Características nem sempre vistas no mundo dos negócios, mas requisito básico para aqueles que militam no reino de Deus.

        O que fazer na prática? Avalie sua postura. Olhe para si mesmo. Faça aquilo que Deus está mandando. Mude seu estilo de vida para servir mais ao reino e à igreja. Trabalhe para agradar ao Pai e tenha confiança de que Ele sustentará sua vida.

Evaldo Rocha – Fazer diferença é levar Deus a sério

Pastor da PIB em Seropédica – RJ

evaldonrocha@uol.com.br

Blog: evaldo..rocha.zip.net

Por InfoBatista, en: General