.

Publicado el November 22nd, 2008, 15:13

LIVRO DOS 100 ANOS DA JMM E AULA SOBRE BATISMO BATISTA

Prezado irmão José Fernando:

Não tenho tempo agora para entrar em polêmica, por ter o compromisso de terminar o livro do centenário da Junta de Missões Mundiais.

Foi um compromisso assumido com Waldemiro Tymchak em fevereiro de 2007, para o qual não me deu prazo, e só aceitei o desafio depois de muita oração e evidência da resposta de Deus. 

Mas, como escrevi o livro do Centenário da JMN em um ano e meio, o da JMM talvez precisasse do triplo do tempo, pois o trabalho é pelo menos três vezes maior.

É o mundo inteiro.

Contudo, coloquei o meu prazo para terminar até outubro deste ano, para que seja lançado na próxima assembléia convencional em Brasília.

Tenho ultimamente trabalhado diariamente pela manhã, tarde e noite. Preciso das orações dos irmãos.

Resolvi dar um ligeiro toque sobre o assunto dos batistas, sobre o qual o irmão trata.

O site da CBB fala algo sobre os batistas baseado no livro Pacto e comunhão, editado pela CBB sob a coordenação do Pastor Sócrates.

Esse livro, na parte histórica, comete pelo menos 14 "equívocos", que após a publicação eu relacionei e mandei para o Pastor Sócrates.

Para uma segunda edição do livro, Pastor Sócrates me escreveu e eu já respondi, solicitando que eu mandasse de novo aquela relação, para que sejam feitas as devidas correções.

Um dos "equívocos" é exatamente dizer que John Smyth se batizou  por imersão, porque foi por afusão (água derramada na cabeça).

Não é bom alguém falar sobre si mesmo, mas preciso dizer que estudei sobre a história dos batistas e sua origem, baseado em fontes originais, inclusive material do século XVII, quase todo microfilmado e alguns em papel que parecia cinza ao se tocar.

O melhor livro sobre a origem dos batistas é History of the English Baptists, de A. C. Underwood. 

Também é excelente o livro de Robert G. Torbet, A History of the Baptists.

Em português, o livro Esboço de história dos baptistas, editado em Portugal e que tem como autor Samuel D. Faircloth e Robert Torbet (de fato não é de Torbet) é uma tentativa não muito feliz de esboçar o livro de Torbet.

Pode ajudar, mas deixa muito a desejar.

Em português, além desse livro de Faircloth, que está esgotado, apenas dois livros merecem crédito sobre a origem dos batistas: Liberdade e exclusivismo, de Zaqueu Moreira de Oliveira, que se baseia em documentos do século XVII (desculpem-me a referência), e Celebração do indivíduo, de Israel Belo de Azevedo.

Apesar de ser um obscuro nordestino, tenho feito conferências ou dado aulas sobre princípios e práticas batistas, em igrejas, associações, congressos e convenções, nos estados de Rondônia, Pará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo, além de ter feito também palestras ou conferências no Canadá, na Suíça e na Ucrânia.

Já tive inúmeras consultas para fazer o mesmo trabalho em outros estados do Brasil e vários outros países. Creio que a partir do início do próximo ano estarei mais à vontade para atender novos convites.

Peço desculpas por falar algo de mim mesmo.

Sinto-me como o apóstolo Paulo, quando disse: "Tenho-me tornado insensato, a isto me constrangestes. Perdoai-me" (2Co 12.11a e 13b).

Há muitos equívocos que são divulgados como sendo história dos batistas, mas que são apenas estórias ou contos.

Como história é baseada em documentos, fatos e na verdade, o que passa disso é mera fantasia, que pode satisfazer a emoção ou os desejos de muitos, mas não é história.

Devemos ter cuidado para não aceitar como verdade somente o que agrada aos nossos ouvidos ou que está de acordo com os nossos desejos, passando a ouvir "lendas", como diz o apóstolo Paulo (2 Tm 4.3 e 4).

No amor de Jesus, o conservo,

Zaqueu Moreira de Oliveira

Por InfoBatista, en: General