.

Publicado el November 22nd, 2008, 18:12

Companhia Constante

Salmo 23.6

Este versículo é fabuloso. David não poderia concluir o seu salmo de modo mais enfático. Ele conclui a dizer que vai viver na casa do Senhor. Nos informa que, caminha pela vida na companhia do Senhor e que mesmo tendo que passar por momentos menos bons, o Senhor nunca o abandonou. Sempre esteve presente e o conduziu em segurança. Esta caminhada culmina com a chegada ao lar. A caminhada com o Senhor nos conduz à morada dEle.

É interessante notar que o texto fala de uma caminhada constante com o Senhor. Mostra que passamos pelas muitas situações da vida sempre com a presença do Senhor. Caminhar com o Senhor é uma caminhar em segurança.

David nos diz que passa pela vida lado a lado com o seu Senhor. Diz que diante das tragédias, o consolo do Senhor é uma realidade. A vara e o cajado o consolam. Mas quando é que acontece o consolo? Quando o consolo é necessário?

"Consolo é para alguém que perdeu alguma coisa. Consolo é para quem não tem ninguém. Consolo é para aquele que está sofrendo alguma dor. Consolo é para a alma que de alguma forma foi espezinhada, machucada. Aqui não se promete dor; aqui se garante a presença de Deus, ainda que sem outras presenças."[1] Devemos compreender que viver com o Senhor não nos isenta de ter problemas. A caminhada cristã é feita com lutas. É ter que cruzar o vale da sombra e da morte. Muitas vezes este vale é constituído pelas nossas tragédias pessoais. Contudo, podemos ter a garantia de que o Senhor está presente. Ele não nos abandona.

Moisés foi um homem extraordinário. Contudo, quando olhamos para sua vida, notamos a presença do Senhor. O Senhor estava constantemente junto a Moisés e ao povo (Êx 3.20-22). Foi esta comunhão que fez com que Moisés pedisse ao Senhor para ver sua glória. O Senhor lhe disse que andaria com ele e lhe daria descanso porque ele havia achado graça diante do Senhor. Achou graça ao ponto do Senhor lhe mostrar sua glória (Êx 33.12-23). Deus nunca abandona suas ovelhas. O Senhor sempre está presente, não importa a situação que tenhamos que atravessar.

O que significa a companhia constante do Senhor nas nossas vidas? O que o Senhor faz connosco?

O Senhor manifesta sua bondade e misericórdia para connosco na caminhada da vida. Duas características muito interessantes são aqui apresentadas: Bondade e misericórdia. Elas falam do carácter moral de Deus. Devemos ressaltar que quem anda com o Senhor, quem tem intimidade com o Senhor, tem uma visão correcta sobre quem é o Senhor. Veja o que a Bíblia diz acerca do Senhor: "Eu farei passar toda a minha bondade diante de ti, e te proclamarei o meu nome Jeová; e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia, e me compadecerei de quem me compadecer." (Êx 33.19), "Tendo o Senhor passado perante Moisés, proclamou: Jeová, Jeová, Deus misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade; que usa de beneficência com milhares; que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado; que de maneira alguma terá por inocente o culpado; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração." (Êx 34.6-7).

Deus é bom e misericordioso e é com o passar do tempo que vamos percebendo esta realidade. Caminhar com o Senhor é um aprendizado. Aprendemos a ser como Ele, mas também aprendemos a envelhecer. "Uma das coisas mais difíceis – imagino – é aprender a envelhecer. É fácil aprender a ser jovem: a gente erra, bate a cabeça por todo lado, mas sempre acha que há um futuro, há uma chance, uma esperança. O salmista diz: Não somente vou viver bem, mas vou morrer bem. Não apenas vou viver com integridade, mas minha cabeça vai ficar branca com generosidade; "Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida, e eu habitarei na casa do Senhor para todo sempre". Vou ficar velho sendo bom, generoso, sem mesquinharia, sem inveja de ninguém; sem ter na alma um rosário de dores para contar; sem frustrações profundas porque outros estão conseguindo coisas que não consegui. Vou aprender a viver minha existência inteira e chegar ao fim dela tomado de bondade, a cabeça branca, peito aceso e generoso."[2]

Esta será a nossa caminhada com o Senhor. Contudo, o que significam a bondade e a misericórdia?

Vejamos algumas definições para estes termos:

O que é bondade?

Ø Bondade – qualidade de quem é bom; caráter digno de louvor, excelência moral.

A Bíblia menciona várias vezes a bondade de Deus (Êx 33.19; Rm 2.4). A bondade do Senhor consiste de justiça, santidade, retidão, amabilidade, graça, misericórdia e amor. Bondade também é um dos frutos do Espírito que caracterizam os cristãos (Gl 5.22). Os crentes são instruídos a ser bondosos, da mesma maneira que Deus Pai é perfeito e bom (Mt 5.48).[3]

Ø Para Martin Lloyd-Jones, "a bondade de Deus é aquela perfeição de Deus que O induz a tratar generosamente e de uma maneira benevolente a todas as Suas criaturas."[4]

Ø É a afeição que o Criador sente para com as Suas criaturas dotadas de sensibilidade consciente como tais.[5]

O que é misericórdia?

Ø A palavra «misericórdia» é latina e a idéia geral é «ter o coração na miséria». Nessa conotação ela é sinônima de compaixão, que é o sentimento que uma pessoa tem ao ver um estado de infelicidade de outra. Ela tem em vista os necessitados que vivem numa condição miserável, seja nos aspectos físicos ou espirituais.[6]

Ø A misericórdia de Deus é aquele princípio e qualidade que descreve Sua disposição e ação em relação aos pecaminosos e sofredores, sustando penalidades merecidas e aliviando os angustiados.[7]

Ø Misericórdia – faceta do amor de Deus que faz com que ele ajude os aflitos, da mesma forma que a graça é a faceta do seu amor que o leva a perdoar os culpados.[8]

Ø Misericórdia é "a bondade ou o amor de Deus para com os vivem em miséria ou aflição resultante de seus pecados, sem levar em conta seus méritos.[9]

Ø No hebraico é o termo hesed. Pode significar agudeza e intensidade, mas dentro do seu contexto semântico pode ser entendida por devoção. Sendo assim, podemos afirmar que o termo hesed é o amor fiel e imutável de Deus no cumprimento de suas promessas feitas ao povo de Israel no concerto.

Ø Misericórdia também é graça (heb. hen), o favor divino demonstrado ao seu povo.

Caminhar a desfrutar a bondade e a misericórdia do Senhor é caminhar em comunhão com Ele. É ser dele e não apenas ter uma relação com Ele. Quem é do Senhor sabe que a ira do Senhor foi retirada por causa da sua graça. É preciso que entendamos o seguinte: "Merecemos nada a não ser a Sua ira, no entanto diariamente a Sua bondade e a Sua misericórdia nos seguem. Davi diz que nos seguem "todos os dias da minha vida"."[10]

Só caminha com o Senhor quem se tornou sua ovelha. Quem já desfruta da graça do Senhor. Contudo, o que significa graça na nossa concepção?

Ouvi a seguinte definição: "Graça é a autodeterminação de Deus em salvar pecadores que não merecem, não querem e não podem se salvar."[11] Deus foi quem desejou e fez tudo para que nós pudéssemos ser suas ovelhas. Foi a actuação da sua graça que nos fez santos. Para que possamos trilhar esta caminhada com o Senhor temos que depender de sua bondade e misericórdia. O Senhor vai a frente, nós o seguimos e como disse um velho pastor na Escócia, atrás vem dois cães, que atendem pelo nome de Bondade e Misericórdia. São estes guardas que fazem com que as ovelhas do Senhor sigam na caminhada da vida. O Senhor vem ao nosso encontro e nos regenera para que possamos segui-lo de volta à casa.

A caminhada com o Senhor é feita com persistência e em santificação. A ideia do salmo é de uma relação profunda com o Senhor. Alguém que lhe pertence e se deixa conduzir por Ele. Este é o processo da salvação. Pregamos a salvação eterna de todo crente, mas não podemos deixar de pregar a santificação e a perseverança do crente.

Este processo é o processo do ser. O grande problema é que na maioria das vezes nós queremos ter, mas note que só é possível fazer esta caminhada com o Senhor se formos dEle. O processo do ser inicia com a salvação. Somos do Senhor quando caminhamos pelo processo da salvação. Como é que este processo se desenvolve e quais suas implicações?

É muito importante olharmos para gráfico abaixo.

[12]Ele explica como se dá o processo da caminhada cristã.

Agora é fundamental entendermos as implicações que nos são sugeridas.

1 - Tudo começa com a regeneração, mas os seus efeitos continuam. A fé e o arrependimento é um processo contínuo da vida. A conversão aconteceu, mas acontece todas as vezes que nos arrependemos e clamamos pelo perdão do Senhor. Não mais pela salvação, mas pelo pecado que cometemos. A justificação acontece quando aceitamos o Senhor, mas todas as vezes que confessamos os nossos pecados, somos perdoados. Somos justificados e purificados. A santificação não pára. É um processo contínuo que se consumará na glória. A perseverança mostra o nosso desejo e esforço de continuar firmes até o fim.

2 – Esses aspectos são simultâneos e interactivos. Eles estão totalmente interligados.

3 – Este processo implica na glorificação do crente[13]

A caminhada com o Senhor só é possível quando somos por Ele alcançados. Quando ouvimos o seu chamado e O seguimos. Ele nos chama para nos conduzir de volta ao lar.

O Senhor nos chama para que possamos ser seus filhos. Ele nos chama para que possamos ser novas criaturas. Contudo, "para experimentar tudo isso é preciso que se tenha uma vida cujas ambições sejam ambições do ser, não as do ter. Preste atenção nisto. Para você experimentar a riqueza dessas promessas é preciso que suas ambições sejam as ambições do ser, não as do ter. Shakespeare aparece aqui com verdade, a questão do TO BE OR NOT TO BE. Esta, sim, é a grande questão: SER."[14] Deus não é contra o ter, mas o ter não pode assumir o primeiro lugar da nossa vida. Necessitamos ser seguidores do Senhor. Nossas ambições precisam ser as do ser, não necessariamente as do ter. Nada me faltará: uma mente sadia, a existência com direção e integridade, na qual as perdas são compensadas pelo consolo de Deus; uma vida alegre, ungida e sem amargura, cheia de bondade, de misericórdia, e generosidade."[15]

O Senhor chama-nos para sermos seu povo. Sermos santos e andarmos em santidade de vida. Antes de pensar em ter tudo e mais alguma coisa, pense em ser como o seu Senhor.

O Senhor é quem nos conduz até à casa para que possamos ficar em segurança. Quando olhamos para o fim deste verso lembramos o que Paulo disse: Nem a morte, nem a vida, nada nos poderá separar do amor de Cristo Jesus.

É o Senhor quem nos leva em santidade para que possamos chegar em segurança ao lar.

O habitar na casa do Senhor é poder estar na sua presença sem problemas. Expressa o desejo de estar a adorar o Senhor. Quem caminha com o Senhor descansa com Ele e desfruta do que Ele preparou para conceder a quem bem lhe apetecer.

É celebrar e festejar com o Senhor. Agora é o desfrutar, pois estamos reunidos para sempre! Ninguém sairá, nenhuma das ovelhas fugirá. Estaremos todos juntos a celebrar a festa do lugar celestial. Temos um lugar preparado. Caminhamos a olhar para o que nos aguarda o futuro. Caminhamos para nossa casa celestial. Jesus afirmou aos seus discípulos: "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também." (Jo 14.2-3). O Senhor, o Bom Pastor nos garante que há uma casa para qual nós caminhamos. Estamos a buscar a nossa mansão celestial?

O Senhor não quebra suas promessas. Ele virá nos buscar para levar-nos de volta a casa. Permitam-me ilustrar este facto a dizer-vos o que ouvi de minha mãe. Ela estava no leito do hospital, estava a morrer. Pediu-nos para que lhe fosse tirado o soro, o oxigénio, pois o Senhor estava ali à sua espera. Recitamos juntamente com ela este salmo e quando chegamos a este versículo, quando terminamos, ela chegou à casa Paternal. O Senhor nos conduz de volta ao lar.

Quem caminha com o Senhor, quem vive com Ele, pode ter a certeza de que será guardo por Ele para todo o sempre.

Guisa de Conclusão

Companhia constante. O Senhor não nos abandona. Ele sempre está connosco.

O Senhor nos convida para caminharmos com Ele e desfrutarmos da sua santidade. Ele deseja que tenhamos uma vida plena. Ele é o Deus que nos escolheu antes da salvação do mundo (Ef 1.4). Sendo assim, sigamos o Senhor e tenhamos sempre intimidade com Ele.

Que Deus nos abençoe!


[1] D´ARAÚJO FILHO, Caio Fábio No Divã de Deus Vol 2 1ª Edição VINDE Comunicações Niterói 1992

[2] Ibid.

[3] YOUNGBLOOD, Ronald F. (Ed. Geral). Dicionário Ilustrado da Bíblia, 1ª Edição, Edições Vida Nova,

São Paulo, 2004

[4] LLOYD-JONES, Martin. Grande Doutrinas Bíblicas Vol. 1, Deus o Pai, Deus o Filho, 1ª Edição, PES

São Paulo, 1997

[5] BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática, 3ª Edição, Editora Luz Para o Caminho Publicações

Campinas, 1990

[6] CAMPOS, Heber Carlos de, O Ser de Deus e seus atributos, 2ª Edição, Editora Cultura Cristã, São

Paulo, 2002

[7] BANCROFT, Emery H. 1ª Edição, Imprensa Batista Regular, São Paulo 7ª impressão 1992

[8] Op.Cit.

[9] Op.Cit.

[10] MacMILLAN, J. Douglas. O SENHOR nosso Pastor, 1ª Edição PES, São Paulo, 2003

[11] Definição dada pelo pastor Maurício Andrade na V Conferência FIEL em Portugal

[12] HOEKEMA, Anthony. A Doutrina Bíblica da Salvação, 2ªEdição Editora Cultura Cristã São Paulo, 2002

[13] Ibid

[14] D´ARAÚJO FILHO, Caio Fábio No Divã de Deus Vol 2 1ª Edição VINDE Comunicações Niterói 1992

[15] Ibid

Por InfoBatista, en: General