.

Publicado el November 22nd, 2008, 15:18

A IGREJA ENTRE A CRUZ E A COROA DE CRISTO

Somente a partir de Atos 8, é que qualquer homem pôde escutar a respeito da morte de Cristo, como sendo uma reparação pelo pecado. Somente em Atos 9, é que um homem descobriu que Cristo habita no corpo do cristão. Somente em Atos 10, Pedro despertou para o fato de que o batismo na água não é necessário para a salvação. A comissão em pauta é: “Nunca se preocupem com o Reino literal, físico e visível, o qual algum dia vai restaurar Israel (vou restaurá-lo, mas não agora). Preocupo-Me, por enquanto, em que vocês saiam por aí, falando de Mim, dando o seu testemunho, pois estou lhes dando o poder de operar sinais e maravilhas, em Meu nome” (Atos 1, 2, 4, 15).

          Os discípulos saíram. Eles operaram os sinais e maravilhas apostólicos.  Cooperando com o envolvimento doutrinário e histórico do Livro de Atos, quando ele se relaciona ao ministério e epístolas de Paulo, uma coisa fica clara: um reino espiritual está sendo pregado aos judeus e gentios e os gentios o estão aceitando melhor do que os judeus. (Atos 13, 16, 18, 28). O último verso do Livro de Atos  é uma clara, didática e dogmática declaração de que, até  que o Reino de Deus se torne visível na Terra, com os seres glorificados (Lucas 19:11), não existe o Reino do Céu. Paulo estava pregando o Reino de Deus “sem impedimento algum” (Atos 28:31), sem ninguém que o proibisse. Ele diz que este Reino deve ser de “justiça, e paz, e alegria no Espírito
Santo”
(Romanos 14:17). O Reino de Deus não será um sinônimo do Reino do Céu, até que o Único, que governa ambos os Reinos, regresse à Terra (Apocalipse 11:15; 2 Timóteo 2:12; Romanos 8:17-25). Na era atual, os dois Reinos são diferentes e um deles ainda não se encontra aqui. [O Reino de Deus se encontra dentro dos crentes verdadeiros e o Reino do Céu vai chegar com o governo de Cristo na Terra]. O Reino do Céu é o que Roma e o Concílio Mundial professam controlar, liderar e difundir. Se os dois Reinos não são os mesmos, não há como “estabelecer o Reino” aqui na Terra [Isso é Dominionismo] . Com o adiantamento do Reino, para o sétimo milênio, a Grande Meretriz (Mateus 13:33; Apocalipse 17:4), a qual tem levedado a massa com o fermento da falsa doutrina, está usurpando a posição da “Filha Virgem de Israel”, a “Filha de Jerusalém” (Jeremias 14:17; Sofonias 3:14), garantindo que a mãe solitária já não pode dar à luz filhos (Isaías 54:1-9; 66:5-10). O adiantamento do Reino resulta nessa abominável imitação.

O QUE A IGREJA NÃO É

A - Ela não é a continuação da “Dispensação Judaica” com outro nome. Os judeus foram deixados de lado porque a “linhagem principal” deveria entrar em compasso de espera, a fim de dar passagem à Igreja. Jesus disse: “A lei e os profetas duraram até João” (Lucas 16:16). Se as Escrituras colocam Moisés e a Lei numa dispensação, e Cristo e a graça na outra, devemos respeitar a ordem divina e não juntar o que Deus separou. 

          Pelo fato de alguns organismos religiosos acreditarem que a Igreja é apenas uma nova fase do que eles chamam “Igreja Judaica”, eles têm insistido num ritual cerimonial, retendo o sacerdócio, o altar, as vestes sacerdotais, etc., sem falar nos edifícios idênticos ao Templo. Eles chamam as ordenanças cristãs de “sacrifícios” e "sacramentos” , chegando ao cúmulo de advogar a “Igreja Estatal” e dominante, como a cabeça de tudo. Eles afirmam que todas as promessas de riqueza e glória do Velho Testamento foram transferidas dos judeus para a Igreja. Esta posição [reconstrucionista/ dominionista] não é bíblica.

B - Ela não é o Reino

          João Batista apareceu pregando que o Reino do Céu havia chegado; Jesus enviou os Doze e os Setenta para fazerem o mesmo; mas os judeus rejeitaram o Rei e o Reino, por isso o Reino do Céu foi adiado. Segundo Lucas 19:11-27, Não pode haver Reino algum, enquanto o “homem nobre”, que “partiu para uma terra remota” (verso 12) receba de volta o Seu Reino.

          A Igreja nunca é confundida com o Reino nas Escrituras. Ela é comparada a uma “casa” (1 Timóteo 3:15); a um “templo” (1 Coríntios 3:16-17); a um “Corpo” (1 Coríntios 12:17-21), porém nunca ao Reino. Cristo é a cabeça da Sua Igreja (Efésios 1:22; 4:15; Colossenses 1:18), mas nunca é aqui mencionado como Rei. A relação da Igreja com Cristo é a de “noiva/esposa” (Efésios 5:23; Apocalipse 21;2, 9,10)

O QUE A IGREJA É

A - Ela é um mistério. Os profetas do Velho Testamento a descrevem em termos brilhantes. Mas havia algo que era um “mistério” para eles e isso era o que estava no porvir, entre o sofrimento e a glória de Cristo. (1 Pedro 1:9-12), ou seja, entre a cruz e a coroa. Jesus deu a entender que deveria haver algo que Ele chamou “Igreja”, mas não disse quando ela iria aparecer e a que ela iria se assemelhar (Mateus 16:13-20) [Antibíblica é a declaração dos papistas, que dizem que Cristo fundou a Igreja sobre Pedro, o qual foi o seu primeiro papa... E antibíblicos são os emergentes, que se julgam donos da Igreja, querendo dominar o mundo através dos seus apóstolos e profetas].

O “Mistério da Igreja” foi primeiro revelado a Paulo

     Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios; se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que para  convosco me foi dada; como me foi este mistério manifestado pela revelação...” como antes um pouco vos escrevi...” (Efésios 3:1-3).

O Mistério - O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito... que” (verso 5)

Os gentios  “são co-herdeiros” (verso 6).  “De um mesmo corpo e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho” (Ver Efésios 3:1-11).

Como vemos, a Igreja era desconhecida pelos patriarcas do Velho Testamento. Que os gentios deveriam ser salvos não era mistério algum (Romanos 9:24-30). O mistério era que Deus iria criar um organismo inteiramente novo, composto de judeus e gentios, o qual seria chamado “Igreja”.

B - Ela é um corpo chamado para fora (Ekklesia)

          Conquanto Israel seja também “um corpo chamado para fora”, ele é um “corpo nacional”, exclusivo aos descendentes de Abraão. A Igreja é um corpo internacional, composto de todas as raças e nações.           Que Israel e a Igreja são distintos e separados, não podendo ser misturados, está claro pelo fato de que sua “eleição” aconteceu em datas diferentes. A eleição da Igreja aconteceu antes da “eleição” de Israel, o qual foi escolhido em Abraão, desde a fundação do mundo (Mateus 25:34); enquanto isso,  a Igreja foi escolhida antes da fundação do mundo  (Efésios 1:4-6). Israel foi criado para trazer a semente física, enquanto a Igreja foi criada para trazer a semente espiritual.

C - Ela é o “Corpo de Cristo”

          O fato de que a Igreja é um corpo formado de membros vivos mostra que ela não é uma “organização”, mas um “organismo”. O corpo humano é um organismo, do qual não se pode remover um olho, um braço, um pé nem até mesmo um dedo, sem que ele seja danificado e sua integridade destruída, por mutilação. Cristo ama a Sua Igreja e deseja vê-la preservada.

        Sendo também um corpo ligado a Cristo, a Igreja não pode morrer, do mesmo modo como um corpo morto não pode ficar ligado a uma cabeça viva; e Cristo, a cabeça da Igreja, não mais pode morrer, segundo Apocalipse 1:18: “E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno”.  Isso quer dizer que “Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória” (Colossenses 3:4). Cristo não apenas deu Sua vida pela Igreja como a deu para a Igreja.

          Mas, por que Paulo usa e expressão “corpo da igreja” se ela mesma é um corpo? (Colossenses 1:18). Porque o corpo serve para a manifestação da personalidade. Uma pessoa pode existir sem um corpo físico, entre a morte e a ressurreição do corpo; mas a alma existe independente de um invólucro físico, embora essa existência não possa ser manifestada. Nesse caso, a única maneira de Cristo - já na glória -  se manifestar ao mundo é através do Seu corpo - a Igreja. A única maneira de vermos Cristo hoje, neste mundo, é através dos crentes verdadeiros, o Seu corpo. Foi, provavelmente, isto que Paulo quis dizer com Filipenses 1:21: “para mim o viver é Cristo”. Paulo quis viver no mundo, de modo que este pudesse ver em sua vida o próprio Cristo.

          Enganam-se os líderes eclesiásticos, pensando que a Igreja é uma organização, na qual eles recebem pessoas que lhes dão lucro, em troca de algumas canções interessantes e de um sermão escrito ao gosto do cliente. Ela é muito mais que isso! Quem vai poder “encarar” o “Noivo da Igreja”, magnificamente assentado no Seu Tribunal? (2 Coríntios 5:10).

Dr. James Modlish/Mary Schultze - “Mistery of the Ages” 13/10/2008.

"Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!"  1 Cor 9:16
"Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo". 2 Cor 4:6.

Por InfoBatista, en: General