.

Publicado el December 15th, 2008, 19:36

CONFIE EM TUDO QUE ACONTECER

Roberto Shinyashiki



Eu acredito que existe um Deus que cuida bem de nós e sabe o que faz.
Eu acredito que a lógica de Deus é superior à minha capacidade de
compreensão. Eu acredito que Deus nunca erra, embora, às vezes, eu não
seja capaz de entender a razão de meu sofrimento.

Tudo o que acontece com a gente tem um propósito, tem um porquê. Basta
olhar para trás, percorrendo nossa trajetória, para perceber quanto as
experiências do passado — as dolorosas e as felizes — foram
importantes para que chegássemos aonde estamos hoje. Pessoas que
tiveram doenças graves, um câncer, por exemplo, e precisaram fazer
tratamentos dolorosos, como quimioterapia, normalmente passam a
enxergar a vida de forma diferente depois que todo o sofrimento cessa.
Percebem então quanto essa experiência difícil foi importante para que
aprendessem muitas coisas sobre a vida que ainda não sabiam.

As jornadas mais complicadas sempre são aquelas que nos trazem mais
sabedoria. Como nas histórias dos heróis de todos os tempos, há sempre
o momento de enfrentar o grande desafio, de encarar a caverna mais
profunda de toda a jornada. É nesse instante que o herói deve provar
que tem força para seguir em frente. É nesse instante que o herói tem
de contatar os potenciais que jamais imaginou possuir dentro de si. É
nesse instante que o herói deve pôr a mão no coração, confiar em deus
e dar o próximo passo, mesmo que só exista o desconhecido à frente.

O jornalista Mário Rosa mostra, em seu livro a Síndrome de Aquiles
(Gente, 2001), uma imagem muito bonita do significado dos incêndios em
nossa vida:

Quem já foi a um parque como o Yosemite, na Califórnia, teve o raro
privilégio de ver de perto o maior monumento vivo do reino vegetal: as
legendárias sequóias. Essas árvores alcançam alturas impressionantes,
mais de 100 metros de altura, e chegam a viver até 4 mil anos. É
quando se está diante de um portento tão poderoso como uma sequóia,
vendo-a viva, tocando essa testemunha da história de nosso planeta,
que quarenta séculos de vida deixam de ser apenas um número e passam a
evocar uma forte emoção e algumas reflexões.

Uma sequóia já estava naquele mesmo lugar há 2 mil anos, quando Jesus
nasceu. Quando a civilização egípcia estava terminando a construção da
grande pirâmide de Gize, as sequóias que hoje vemos vivas e pujantes
já haviam brotado da terra. Se compararmos a duração da vida de uma
sequóia com a de um ser humano, descobriremos que cinco anos dessa
árvore representam em relação ao todo de sua existência o mesmo que um
mês significa para um ser humano. Assim, a explosão nuclear que
devastou Hiroshima e Nagasaki e pôs fim à segunda guerra mundial,
vista sob a perspectiva da vida de uma sequóia, ocorreu não faz um
ano. O fim da guerra do Vietnã se deu no semestre passado. E a morte
de Lady Di, há dois fins de semana.

Intrigados com tanta força e resistência, os cientistas, com o passar
do tempo, foram descobrindo os fatores que fazem com que as sequóias
sejam esse fenômeno de sobrevivência. Um dos segredos da vida de uma
sequóia é o fato de que, por ser tão alta atrai raios durante as
tempestades. São justamente os raios que provocam incêndios que, por
sua vez, destroem os galhos mais pesados da árvore, possibilitando-
lhe que concentre sua seiva nos galhos realmente indispensáveis. Em
sua vida, raios, tempestades e incêndios são crises que, em vez de
destruição, permitem a purificação. Fazem com que ela não desperdice
seiva, concentrando- se nos ramos essenciais. Isso permite que
continue crescendo. E sobrevivendo.

Tal como as sequóias, nós somos seres com poderes infinitos,
precisamos apenas que alguns raios nos ataquem para conhecermos nossa
força. Muitas vezes a dor parecerá insuportável, as perdas,
insuperáveis, os obstáculos, intransponíveis. Mas, com fé e
determinação, descobriremos que somos maiores que tudo isso e, no
final, celebraremos nossas vitórias.

------------------------------------
Por InfoBatista, en: General